Header Ads

Breaking News
recent

A internet está nos alienando? As opiniões "rasas" da geração selfie.

Um dos maiores argumentos para denegrir essa geração é que ela não age, que apenas dá argumentos rasos sem tomar nenhuma providência real para a situação em que vive, a teoria é que a internet tem muita influência nisso. A internet nos deu poder, aproximou distâncias e fez com que as notícias se espalhassem muito mais rápido. Diariamente, lemos uma tonelada de notícias sobre problemas sociais, descobertas científicas ou até uma fofoca. Mas por que essas informações todas não estão virando uma força para melhorar o mundo?

Você é simpatizante dos animais, então quer ajudar bichos abandonados e maltratados, quer que a indústria da moda pare de vestir mulheres com peles, mas você também é solidário aos problemas dos humanos: você quer que acabe a fome, o machismo, o racismo, a homofobia. Ao mesmo tempo, você é engajado politicamente: quer que os impostos diminuam, os políticos não roubem, quer o comunismo ou o capitalismo. Você torce para que pesquisas científicas não percam seu apoio financeiro, para que as descobertas da medicina estejam finalmente ao alcance da população. E entre tudo isso você também vê pedidos dos seus amigos para compartilhar determinado problema de alguém que está com câncer e não tem dinheiro pro tratamento, ou outra pessoa que está há anos lutando para receber uma indenização de determinada empresa. Inúmeros são os pedidos de socorro que aparecem na nossa timeline todos os dias. Tanto problema assim deixa essa nova geração confusa, em meio a tanta gente gritando por socorro só conseguimos pensar em clicar no botão “compartilhar” com a sensação de ter ajudado. A exposição excessiva a informação não nos dá tempo para respirar.

Talvez com o simples acesso da população antes da internet a radio e TV, a "antiga" geração recebia apenas uma fatia de toda a informação, a fatia que uma parte dominante da população que controlava esses meios queria divulgar, isso foi bom, um problema divulgado desencadeava em proporções muito maiores que as atuais, pelo menos eu acho. É claro que o que eu citei no parágrafo acima é importante, mas se nos tornarmos máquinas de compartilhar, nossas vozes serão diluídas em outras centenas de comentários pseudo-intelectuais no Facebook.

Usar a internet pra se informar e agir não é o problema. Vários protestos recentes aconteceram graças às redes sociais. O problema é a falta de foco que acaba criando opiniões rasas e pré-formadas sobre tudo. Minha geração só quer saber de falar o que acha que está certo ou errado e não para pra refletir o verdadeiro valor de seus comentários.


Mas será que essa é só mais uma opinião rasa de internet sem aprofundamento? Felizmente, o buraco é mais embaixo. Recentemente, você precisou decorar um número de telefone? Se você pertence a maioria das pessoas que estão lendo isto provavelmente a sua resposta foi "Não". Você provavelmente usa apenas uma ferramenta para tudo, o celular, mandar mensagens, torpedos, ouvir músicas, podcasts, audiolivros, acessar as redes sociais, email, tirar selfies, ler artigos ou ver notícias. Até me esqueci, ele também faz ligações. Com tanta informação nas mãos acabamos nos tornando dependentes que focam toda a atenção nesses aparelhos que funcionam quase como uma extensão do corpo. O problema é que achamos que damos conta de absorver toda a informação ao mesmo tempo, estudos comprovam que fazendo isso não adquirimos toda a informação. Sim, celulares e computadores nas salas de aula podem mais atrapalhar do que ajudar no aprendizado.

Mas se por um lado nunca ficamos tão perdidos em meio a tanta informação, por outro nunca fomos capazes de adquirir tanta informação. Responder perguntas nunca foram tão fáceis quanto um "OK Google".

O "kkkkkkk" e as abreviações não nos deixam estúpidos se pensarmos nisto como um novo estilo de escrita, podemos ver isto como algo ruim ou pensarmos que, e isto é um fato, jovens nunca escreveram tanto quanto escrevem agora. Nós só reparamos tanto em erros de gramática porque nunca fomos expostos a tantos textos assim.

Voltando aos números de telefone, será que o fato dessas nossas informações estarem guardadas em um backup de celular e não em nossas mentes a tornam menos nossas? Não seria diferente de anotá-las em uma agenda até decorar de tanto ligar. Não precisamos nos importar em guardar tanta informação quando elas estão a um toque, Wikipedia, Google, Imdb, nos preocupamos em fazer as conexões enquanto o GPS narra o caminho. Pensamos então que se não fosse pela internet eu não teria condição de ler tanto ou até de escrever o que estou escrevendo agora, cortamos caminhos e adquirimos tempo para produzir mais.

Vemos isto pelo chamado "Efeito Flynn", não sabe o que é? Simples. escreve no Google. Em países desenvolvidos e subdesenvolvidos os testes de QI têm apresentado um resultado melhor ano após ano, e isto levando em conta de que os testes ficam cada vez mais complexos.

Com alguns cliques temos tudo que acontece em nosso país, no outro lado do mundo ou até em outro mundo, a internet tem as ferramentas e os métodos para nos informar, ela encurta caminhos e simplifica tudo, e se você acha que não estamos preparados para isto, está enganado. As ferramentas estão todas aqui, tudo depende do uso que você dá para elas, se você faz perguntas no Google e não procura as respostas, a culpa não é da internet, ela não te faz ignorante, te mantém assim.


Sem a internet, você não estaria lendo esse texto, ou qualquer um de um garoto de 15 anos, a internet me dá informação e voz, basta saber usá-las.

Nenhum comentário:

@ArturAlee #GeekDeVerdade. Tecnologia do Blogger.