Header Ads

Breaking News
recent

O belo e avassalador final de Bates Motel

Devemos sempre nos lembrar que antes de tudo Bates Motel é sobre uma intensa e doentia relação de amor entre uma mãe e seu filho. E que antes de todo transtorno mental ou assassinato devemos pensar nesse imensurável e grandioso amor e seu efeito avassalador. 

Norman Bates desde criança vinculou a percepção de segurança à figura de sua mãe, enquanto foi associando qualquer pequena ameaça a distanciá-los como algo ruim, perigoso e que ele precisava combater. As experiências infelizes sofridas por eles quando Norman pequeno e na adolescência levaram-os a acreditar que a mudança para White Pine Bay permitiria um recomeço sem mais sofrimentos. Norman possuía o desejo de ficar com sua mãe e protegê-la de todo modo, uma motivação inofensiva. E foi esse o clima e a imagem retratada na final. Bates Motel nos apresentou um mundo virado de cabeça para baixo, com diversas camadas psicológicas, entretanto, a base da trama, o fio condutor de tudo, sempre foi algo mais simples e delicado, algo como um cordão umbilical. 



Desde os primórdios, quando Dylan chamava Norma de louca e a recriminava por passar a mão na cabeça de Norman até esse ultimo episódio, ele foi o responsável por mostrar para a família que não, não estava tudo bem, ele sempre foi o são ali no meio que viu que White Pine Bay não é o País das Maravilhas. Mas ele aprendeu com Norma e dessa forma, quando avistou seu irmão Norman diante de todos aqueles assassinatos ele não apenas viu mas como enxergou o seu problema, e seu dilema era gigantesco, seu irmão mereceria ser preso ou não pelo o que fez, e, principalmente, por quê aquela tortuosa realidade deveria continuar sendo tratada como uma opção? Norman precisava morrer, essa realidade não o servia sem Norma, e ele só continuaria corroendo sua alma e seu cérebro por dentro. 



Acreditei por um momento que veríamos Norman suicidar, poupando o irmão um pouco de todo o sofrimento que ele teve e decidindo seu próprio caminho, foi bem frustrante não vê-lo sendo sincero. E assistir Dylan matar Norman e encarar sua mãe e irmão mortos ali doeu o coração, mas foi de uma beleza... no fim o que importa é Emma e sua filha, ele finalmente tem uma família para chamar de sua.

Nenhum comentário:

@ArturAlee #GeekDeVerdade. Tecnologia do Blogger.