Header Ads

Breaking News
recent

As cores na sétima arte

Já não é segredo para ninguém como a paleta de cores e as emoções que elas passam são importantes na composição de uma obra audiovisual, desde para passar um tom mais sombrio como nos de Zack Snyder até para demonstrar o comportamento físico, mental e emocional das personagens, como é o caso de Breaking Bad (servem até colocar alguns estear-eggs, como o laranja em Poderoso Chefão). A base desta teoria sugere que emoções são capazes de se comunicar com espectros de cores.

Em alguns casos se torna até característico do diretor, nos de Wes Anderson, são tão características que conseguimos reconhecer o diretor apenas pelas cores presentes em um frame:


E muitas vezes essas cores acabam ajudando a criar toda atmosfera do filme, como por exemplo em Meninas Malvadas, cuja paleta acaba refletindo na feminilidade das personagens, podemos citar também a saga Harry Potter, em que as cores vão escurecendo progressivamente filme após filme, conforme a história se torna mais densa. Um bom exemplo do quanto uma paleta pode ser comunicativa é A Vida é Bela, de Roberto Benigni, em que as cores se alteram completamente com os acontecimentos do filme.

Esse deve ser o recurso mais usado quando se trata de cores em um filme, mas alguns se arriscam a utilizá-las de modo mais sofisticado, como disse Roger Deakins (diretor de fotografia dos irmãos Coen) "É fácil fazer uma paleta que seja esteticamente agradável, mas difícil fazer com que ela preste um serviço à história."

Clique para expandir




Mas como transformar uma simples cor em um elemento narrativo? Mostrando a personalidade dos personagens, tratando conexões de tramas e dando índices do rumo da história, como Breaking Bad fez: A enciclopédia da série identifica os personagens e os elementos associados a cada paleta de cores usada na série. O verde, por exemplo, aparece ligado a momentos de ganância, que envolvem dinheiro e inveja - e sempre nos personagens Walter White, Skyler White e Saul Goodman. O azul predomina em cenas que simbolizam lealdade ou tristeza, com personagens como Skyler, Walter, Todd Alquist e Lydia Rodarte-Quayle. Em “Breaking Bad”, nenhuma cor é escolhida por acaso, clique aqui para entender a fundo a teoria.

Lembrando que estes significados são sempre subjetivos, um vermelho por exemplo, pode desde comunicar o sentimento de amor, como em O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, como representar o pecado e sedução, em Beleza Americana.

Como citado anteriormente, em o Fabuloso Destino de Amélie Poulain, vai muito além de apenas um visual bonito, o jogo de cores utilizado na composição do cenário foi baseado em um artista brasileiro, Juarez Machado, que usava em seus quadros tons de vermelho, verde e amarelo, todos com seus devidos significados, como no filme. Além do profundo simbolismo retratando os sentimentos da personagem, trata-se também da perspectiva do mundo segundo ela, contada através de seu narrador.

Frame de O Fabuloso Destino ao lado de uma obra de Juarez Machado

Então pode-se concluir que as cores possuem seu devido valor no cinema, podendo retratar todo um lado artístico e sentimental do filme. Assim como a trilha sonora e a fotografia contribuem à atmosfera do filme, as cores também, e unem-se de maneira singela para composição da sétima arte.

O perfil @CINEMAPALETTES no twitter se propõe a selecionar a paleta de cores de diversos filmes e as coloca embaixo de cada cena. É impressionante como tudo parece mais vivo. Mais belo.

Escrito por Artur Aleixo e Beatriz Tossatto.

Nenhum comentário:

@ArturAlee #GeekDeVerdade. Tecnologia do Blogger.